A gastronomia de Sevilha caracteriza-se pelo seu excelente clima, suas muitas horas de luz e sua proximidade do mar. O azeite de oliva é a base de seus inumeráveis pratos, que deliciam sevilhanos e visitantes.

Não se pode visitar Sevilha sem fazer uma boa rota de “tapeo”, pequenas porções de comida fria ou quente acompanhada de uma bebida e que ajuda a acalmar o apetite antes das refeições principais. Cada estabelecimento procura oferecer seu prato original, para que o visitante possa descobrir novos sabores e produtos. É através destas pequenas porções que se começa a conhecer parte da cozinha de Sevilha e da província, que pode ser tradicional ou inovadora, mas no final das contas é “tapeo”. Destacam-se as saladas, as ovas, os peixes marinados bienmesabe, as caçarolas de ensopados, os peixes empanados, os excelentes embutidos e os fresquíssimos camarões, as frituras de “pescaíto”, que podem ser degustadas em todas as tabernas da cidade, onde também são servidas lulas, e o excelente presunto ibérico. Se visitarem a cidade no verão, sem dúvida convém começar por um bom gaspacho.

No entanto, a gastronomia sevilhana não se resume só a tapas, gaspacho e “pescaíto frito”. Sua gastronomia é composta por uma extraordinária gama de produtos e uma sábia e antiga tradição culinária de caráter popular que atualmente é confirmada pela competência de seus cozinheiros que aproveitam com habilidade os recursos desta terra. Não podemos ignorar os excelentes pescados que encontraremos: robalos, douradas, cação, espadarte, rodovalho ou as históricas tainhas marinadas. Também são excelentes os frutos do mar de suas costas vizinhas.

Típicos manjares desta terra são também os magníficos embutidos e produtos serranos elaborados com porcos ibéricos da melhor qualidade, excelentes ensopados com carne de caça como a caldeirada de veado, passando pelas maravilhosas verduras e hortaliças cultivadas na região, e que são a base indiscutível de todas as elaborações como o cozido, os ovos à flamenca, os miúdos, o rabo de touro, a vitela, a caldeirada, etc.

Nas sobremesas, que estão relacionadas com cada estação do ano, degustaremos pestiños (bolinhos de mel), torrijas (rabanadas), piñonates (bolachas de pinoli) na Semana Santa, gemas de San Leandro, alfajores, tortas de azeite (bolacha), tortas de polvorón (amanteigado), mantecais, mostachones (bolacha) e bizcotelas (bolo), doces de conventos… E todos estes excelentes manjares acompanhados da refrescante cerveja sevilhana ou dos reconhecidos vinhos finos e manzanillas de San Lúcar.

Vocês não ficaram com vontade de fazer uma rota gastronômica em Sevilha?