A cozinha marroquina pode ser considerada de grande riqueza e diversidade, possivelmente isto ocorra devido à interação que chegou a ter com outras culturas estrangeiras. Hoje em dia a cozinha marroquina pode ser considerada uma mistura de gastronomias provenientes dos berberes, mouriscos, Oriente Médio, mediterrâneo e africano, no entanto possui uma personalidade própria porque nunca recebeu influência turca ao contrário das demais cozinhas do Magrebe.

A cozinha marroquina é uma das mais sensuais do mundo, atinge diretamente os sentidos, com um aroma e um sabor que poucas cozinhas internacionais são capazes de conseguir. Ao mesmo tempo é muito simples de ser realizada, muito familiar, como diz um provérbio marroquino: “durante a comida, não se fala”. Com exceção do cuscuz que costuma ser comido habitualmente com colher, os marroquinos costumam comer com os três dedos de sua mão direita. O pão costuma ocupar a posição de receptáculo de verduras, carnes, etc.

Sua principal característica é o uso magistral que fazem do doce e do salgado. Os ingredientes utilizados nos pratos tradicionais de Marrocos são diversos, destacando-se as hortaliças, verduras, as carnes, as leguminosas e as especiarias.

O contraste de sabores é habitual na gastronomia de Marrocos. Alguns dos pratos principais são a Harira, uma sopa que tem como base leguminosas, hortaliças e condimentos, além de carne. Outro prato típico é o Tagine, à base de carne ou pescado, acompanhado de diferentes tipos de verduras.

A Bastilla, feita com massa folhada e carne, também é um prato delicioso, como o Cuscuz, receita que combina frango e cordeiro no referente a carnes, junto com verduras, sêmola e ovos. Também se destacam as saladas de verduras, que são acompanhadas de muitos pratos tradicionais.

As sobremesas da gastronomia marroquina são deliciosas. O mel, os pistaches, as frutas secas como nozes e amêndoas, são os principais ingredientes. Em relação às bebidas, a cerveja e o vinho são os habituais; e o chá de menta é uma bebida típica.

A comida é um ato de hospitalidade e quando se convida um viajante para comer representa um ato formal de gratidão. É costume reservar-lhe uma das melhores posições na mesa. O chá com menta e a comida é oferecida ao visitante segundo entre pela porta da casa, e a negação categórica por parte do visitante é considerada um ato rude, assim que vocês já sabem, jamais rejeitem um chá quando lhes ofereçam!