As ruas em ruínas por onde passavam os ônibus, motos, bicicletas, carros, carroças, carrinhos de mão, burros, vans e inclusive gente, proporcionavam uma imagem viva do que era a República Dominicana. As cores se misturavam com o ruído e a música alta, nos carros ou bares as pessoas se congregavam ao redor de uma garrafa de rum Brugal.

Poucos lugares são tão coloridos e cheios de vida como as ruas deste país Caribenho. Sorrisos por todos os lados e bom humor, porque a vida é para ser vivida! Feiras, pessoas, guaguas (ônibus) que conheceram tempos melhores lotados de gente… Para onde você vai meu amol (amor)? “Ouça blodel (brother) bem-vindo”, “De onde você é? [...] Ah, da Espanha, a Mãe-Pátria!”

Hispaniola (La Española), a ilha que acolhe tanto a República Dominicana quanto o Haiti, é para ser vivida. O povo, que vive com uma fama injusta de ser um país perigoso, é adorável e basta um olhar para se aproximarem, falarem com você, para cumprimentá-lo e contar que bem se vive ali. No final das contas, cada sorriso que lhe derem, fará com que eles conheçam mais gente, e isso é bom para todos. Portanto, perca-se (não será difícil) nas suas ruas, converse com suas gentes e deixe que lhe contem suas histórias, há muitas surpresas à sua espera.